InícioPolíticaGuilherme do Salão cria lei que prevê multa para quem não separar...

Guilherme do Salão cria lei que prevê multa para quem não separar lixo reciclável.

Durante sessão plenária realizada ontem (31), os parlamentares aprovaram, com emenda, o projeto de lei nº 90/2021, de autoria do vereador Guilherme do Salão (PROS), que dispõe sobre a obrigatoriedade dos condomínios residenciais e prédios comerciais instalados na cidade, a implantarem a coleta seletiva dos resíduos e instalarem recipientes adequados à coleta de materiais recicláveis descartados.

 

De acordo com a iniciativa, as edificações deverão instalar contentores, coletores ou big bags (contêiner industrial, com formato de sacola, feito de tecido flexível projetado para armazenar e transportar produtos), e a retirada dos resíduos ocorrerá conforme o Programa de Coleta Seletiva, instituído pela Lei Complementar Municipal 114/2020. A emenda do projeto estabelece que os prédios residenciais e comerciais que não seguirem a regulamentação, serão advertidos. Se a adequação não ocorrer, acarretará em multa de 100 reais, após trinta dias da advertência e, caso haja reincidência, a multa será de 200 reais.

 

Na justificativa do projeto, o parlamentar do PROS alega que a matéria, além de ampliar a coleta e a quantidade de resíduos recicláveis, pretende incentivar os residentes e comerciantes cubatenses para que realizem a separação materiais, viabilizando a coleta seletiva por empresas, associações ou cooperativas conveniadas com o Município. O vereador ainda citou o Rio Santana, localizado na Ilha Caraguatá e que faz divisa com a cidade de São Vicente, afirmando que nele “há muito resíduo reciclável, mostrando que precisa ter uma educação em relação a coleta dos materiais recicláveis”.

 

Sérgio Calçados (PSB) parabenizou o vereador e pontuou dois projetos de sua autoria, que tratam sobre a instalação de Ecopontos e de Ecobarreiras, que auxiliariam na coleta e contenção dos resíduos que, em sua maioria, vão em direção aos rios e oceanos. O parlamentar também disse sobre a necessidade de debater formas e maneiras de amenizar os danos causados pelo aumento da maré. “Nunca vi as águas, na última subida da maré, chegarem na rua São Paulo, na rua Marechal Carmona, no Costa e Silva. Cada vez mais a maré vai subir e precisamos trazer alternativas para isso”.

 

Rafael Tucla (Progressistas) disse que o projeto gera uma possibilidade de recursos aos prédios residenciais e comerciais, pois “o lixo bem reciclado gera lucro, não desperdício” e, caso seja reciclado da forma correta, poderá ser vendido e custear alguma demanda do condomínio ou do comércio. O vereador também falou sobre a possibilidade de forrar as moradias da cidade, que não são de alvenaria, com caixas de leite, que auxilia na diminuição da sensação térmica de frio e ajuda com a redução de resíduos.

 

Allan Matias (PSDB) pontuou que a melhora do escoamento das águas da chuva, já debatido em comissões de vereadores, a dragagem dos rios que cortam a cidade, Ecobarreiras e a reciclagem deveriam ser uma política de continuidade na cidade com maior propriedade. O parlamentar ainda disse que, se não houver um trabalho de conscientização desde as crianças e dos moradores, haverá danos irreversíveis a cidade.

 

A matéria foi aprovada em primeira discussão e deve retornar para apreciação, em segunda discussão, na próxima semana.

Matéria e foto: Câmara Municipal de Cubatão.

Facebook Comments

Artigos relacionados

Mais lidos